Por que é importante educar um animal?

Benefícios e cuidados no uso de melatonina para cães

calendarioPublicado em 4 de set de 2017 - Por Mariana Castro

A melatonina é um hormônio produzido por animais, plantas e seres humanos e atua no controle do ciclo cardiano, que é o ciclo de 24 horas de funcionamento do organismo.  Ela estimula a indução do sono e melhora a sua qualidade. Por isso, o hormônio passou a ser manipulado em cápsulas para o uso humano. Composta por substâncias naturais, suas vantagens também podem ser utilizadas por animais, com uma formulação própria que protege e beneficia principalmente os cães.

“O uso de melatonina para cães com distúrbios para dormir melhora, não apenas a qualidade do sono deles, como outras funções do organismo”, explica Jenifer Bansho, veterinária do HiperZoo. A substância intervém em funções fisiológicas, como regulação da temperatura e efeitos antioxidantes, tendo sido muito utilizada para o tratamento de alopecia X, doença dermatológica que acomete principalmente cães de pelagem mais abundante.

Ela ainda é recomendada para distúrbios comportamentais e cães epiléticos. “A prescrição de melatonina para cães com epilepsia tem levado a um maior espaçamento entre as crises e diminuição da intensidade dessas”, conta Jenifer.  O hormônio também é muito utilizado em animais de grande porte, principalmente para o auxílio reprodutivo. Ele pode ser administrado em gatos e outros pets, mas sempre de acordo com a dose recomendada pelo médico veterinário.

+ Quatro doenças de pele comuns em cães

+ Conheça a atopia, doença crônica que afeta a pele dos cachorros

Existem formulações específicas da substância para cães, que podem ser encontradas em farmácias veterinárias ou lojas virtuais. É importante se ater a isso e não utilizar a mesma melatonina recomendada para humanos, uma vez que essa contém xilitol em sua formulação, uma substância extremamente tóxica para cães. A dosagem e a frequência utilizadas precisam ser determinadas por um médico veterinário, uma vez que em doses inadequadas ou administrada sem acompanhamento, a substância também pode ser tóxica para o animal.

Em casos de sobredose, os cães podem apresentar vômito, diarreia, agitação excessiva, convulsão e descoordenação. “Dentre os efeitos colaterais, pode ser observado sonolência e sedação, taquicardia e aumento dos níveis glicêmicos”, alerta Vivian Lina, coordenadora clínica do Hospital Veterinário Santa Inês. Nesses casos, deve-se suspender o uso do produto e levar o pet o mais rápido possível ao veterinário. “O uso da melatonina passa a ser contraindicado para pacientes que apresentaram reação adversa ao produto”, completa.

A melatonina também não é recomendada para cães com menos de doze semanas. Sua apresentação se dá tanto na forma de um comprimido, como em pó e líquida. O hormônio pode ser dado com a comida do pet ou da maneira que encontrar para dar medicamentos.

+ Cães e gatos podem ter infecção urinária?

“O uso da substância não é algo novo no mercado, mas tem sido mais recomendada pelos veterinários devido a sua eficácia no tratamento contra alopecia X”, revela a especialista do Hospital Santa Inês. “Apesar disso, ela ainda está sendo indicada com cautela pois é preciso analisar mais estudos e pesquisas acerca do tema”, acrescenta a veterinária do HiperZoo.

Foto: Getty Images

Mariana Castro

No processo de se formar em jornalismo e convencer a mãe a ter um cachorrinho, sendo o segundo muito mais desafiador. No momento, o mais próximo que tem de algo de estimação é seu cacto, a Amélia. Enquanto isso, segue escrevendo e se apaixonando por vira-latas de terceiros.

Comentários