Como saber que seu cão está com febre?

Como fazer viagens internacionais com pets?

calendarioPublicado em 22 de fev de 2018 - Por Mariana Castro

Dentre os diversos planejamentos necessários para uma viagem, o que fazer com o pet durante o período é um dos primeiros questionamentos dos tutores. E se, para você, uma viagem para fora do país só ficaria completa ao lado do seu melhor amigo, saiba que é possível realizar viagens internacionais com os pets.

Antes de tudo, entretanto, é importante considerar o bem-estar do animal. O tempo de viagem é relativo à tolerância de cada um, mas não são aconselhados trajetos longos para cães com extrema ansiedade. Outros, mais tranquilos, podem suportar até mesmo viagens de 24 horas, cabendo ao veterinário escolhido pelo tutor avaliar. Durante a viagem, o animal não  pode comer ou beber e, por isso, é importante oferecer alimento e água nas paradas e conexões. 

Os riscos durante a viagem se referem apenas ao fator do estresse, gerado por toda a novidade da caixa de transporte e sua manipulação. Por isso, animais que usarem o transporte aéreo devem ser acostumados previamente com a caixa de transporte para diminuir o fator surpresa. Algumas companhias aéreas já permitem o transporte do animal na cabine, com o tutor, ao invés de ir no bagageiro.

+ Como reduzir o estresse dos animais durante as viagens?

+ Dicas para transportar os pets no carro

“Atente-se às regras de cada companhia aérea quanto ao tipo e tamanho de caixa de transporte necessário, se é preciso sedar o animal e que documentação apresentar”, recomenda Livia Romeiro, especialista em comportamento canino do Vet Quality Centro Veterinário 24h. A sedação não é aconselhada no transporte aéreo pois é necessário que os pets estejam conscientes no caso de um turbulência mais forte, por exemplo, para que reajam por sobrevivência.

Também existem restrições em determinadas companhias aéreas para as raças braquiocefálicas, com focinho curto. “Eles podem sofrer um pouco com o estresse e calor excessivo, além de ter problemas para respirar”, explica Livia. Viajar com filhotes em fase de vacinação deve ser evitado, pois o estresse do voo pode alterar a resposta imunológica e defasar a imunidade gerada pela vacina.

Por fim, não esqueça de realizar a reserva para seu animal de estimação, uma vez que o número de animais por vôo é limitado. Para que você esteja preparado e aproveite a viagem com seu melhor amigo, a especialista reuniu alguns documentos exigidos para animais em voos internacionais. Confira:

  • Certificado Zoosanitário Internacional (CZI), emitido pelo Ministério da Agricultura, gratuitamente, nos aeroportos internacionais. O prazo para emissão do mesmo pode passar de 30 dias úteis, sendo importante agendar com antecedência uma consulta para realização dos procedimentos necessários para a emissão do documento.
  • Atestado de saúde emitido por um médico veterinário, com informações sobre as condições de saúde e se o animal está apto para viajar. O atestado possui validade de dez dias a partir da data de emissão.
  • Carteira de vacinação atualizada.
  • Documento de comprovação da aplicação do microchip, contendo o número, data da aplicação e localização, devidamente firmada pelo técnico responsável.
  • Alguns países exigem exames e documentos específicos, além de realizarem quarentena na chegada do animal. É importante se informar antes de agendar a viagem.

Itens básicos para a bagagem do animal:

  • Coleira e guia
  • Ração em quantidade adequada para o período da viagem
  • Potes para água e comida
  • Shampoo de costume e toalha
  • Cama, brinquedos
  • Medicamentos de uso contínuo e para emergências

Foto: Getty Images

Mariana Castro

Jornalista apaixonada por todos os seres vivos. Enquanto não realiza seu sonho de ter um cachorrinho, segue escrevendo sobre eles e se apaixonando por vira-latas de terceiros.

Comentários