calendarioPublicado em 15 de jan de 2018 - Por Mariana Castro

No verão, é comum que os tutores de pets aproveitem o tempo ao ar livre com seus melhores amigos. Passear em parques, ir à praia ou apenas curtir o sol parecem ótimas atividades, mas, para aproveitar com segurança, são necessários cuidados especiais com os cães durante essa época do ano.

Para preservar a saúde deles, é importante adaptar a rotina diária ao clima quente. “O corpo dos cães faz troca de calor apenas por meio das regiões das almofadas das patas, do focinho e da boca. Por isso, quando muito expostos às altas temperaturas, eles acabam ficando ofegantes e cansados”, explica Ricardo Cabral, veterinário da Virbac, empresa francesa dedicada à saúde animal.

+ Tosar o pelo dos cachorros no verão ajuda a aliviar o calor?

“Eles não possuem glândulas sudoríparas por todo o corpo como nós e, portanto, o principal mecanismo de perda de calor é colocar a língua para fora e respirar de maneira ofegante”, conta ele. Por isso, cães de focinho mais curto, como os Shih Tzu, Lhasa Apso, Pug e Bulldog Francês, que já apresentam menor capacidade respiratória, têm dificuldades em abaixar a temperatura corporal.

Outras raças suscetíveis a problemas nessa época são aquelas de pelos muito longos, que têm mais dificuldade de perder calor, como os Golden Retriever e Collies, por exemplo. A recomendação é que elas sejam tosadas, pois isso ajuda a reduzir a sensação de abafamento. A frequência varia de acordo com a raça e de quão rápido o pelo volta a crescer.

Quando muito expostos às altas temperaturas, os cães acabam ficando ofegantes e cansados pois têm menos glândulas sudoríparas pelo corpo

Durante o verão, também aumenta a incidência de pulgas e carrapatos. Isso porque, além do clima mais propício, os tutores também levam os cães para passear com mais frequência, o que é um risco de contaminação. “Noventa e cinco por cento das pulgas estão no ambiente, nas formas de ovos, larvas e pupas. Assim, quando vão a praças, parques e petshops, os animais entram em contato com o parasita”, ressalta Ricardo.

Outros problemas provenientes de temperaturas elevadas são insolação e hipertemia, principalmente se o animal for exposto ao sol por muito tempo nos períodos mais quentes ou ficar preso dentro de um carro, por exemplo. “Inicialmente, o animal pode ficar muito ofegante e o quadro pode evoluir para desidratação grave e desmaios”, alerta o veterinário. “Cães expostos a exercícios intensos sob o calor podem apresentar lesões musculares com rompimento das fibras musculares, prejudicando outros órgãos”, continua ele.

Como cuidar dos cães no verão?

Para evitar maiores problemas, é recomendado que o tutor evite passeios com os cães nas horas mais quentes do dia. Além da dificuldade de perder calor e da exposição aos raios solares, é preciso lembrar que o contato direto dos coxins, que são as “almofadinhas” das patas, com o asfalto quente pode causar queimaduras. “O ideal é levá-los para passear antes das 10h e após às 17h”, indica Ricardo.

É fundamental deixar água fresca à disposição e fazer trocas frequentes. Uma boa ideia é usar estratégias para aumentar o consumo de água deles. Você pode oferecer mais frutas, por exemplo, ou colocar cubos de gelo na água oferecida. Além disso, mantenha os banhos regulares. Apesar do tempo quente, o ideal é um a cada sete ou quinze dias, dependendo da frequência de passeios e local onde o animal vive. Banhos em excesso podem causar ressecamento da pele e possibilitar a ocorrência de doenças alérgicas, por exemplo.

+ Exposição ao ar-condicionado aumenta o risco de doenças respiratórias em animais

Se você tem um gato em casa, saiba que os cuidados devem ser os mesmos. Os de pelos longos, como os Persas, ficam mais predispostos a problemas provenientes do calor, por exemplo. Gatos e cães albinos, que possuem pelagem branca e focinhos e coxins rosados, têm maiores chances de desenvolver carcinomas e outros tipos de tumores secundários à radiação solar. A melhor forma de prevenir é com o uso de protetor solar veterinário e evitando a exposição direta ao sol.

Fotos: Getty Images

Mariana Castro

Jornalista apaixonada por todos os seres vivos. Enquanto não realiza seu sonho de ter um cachorrinho, segue escrevendo sobre eles e se apaixonando por vira-latas de terceiros.

Comentários