calendarioPublicado em 24 de nov de 2017 - Por Mariana Castro

Assim como muitos seres humanos, os pets também sofrem de dor na coluna. O problema é uma das principais queixas no atendimento ortopédico de clínicas veterinárias e pode ser um sinal de algo mais grave, como a hérnia de disco. Por isso, é importante ficar atento aos sinais do animal, uma vez que a condição pode se desenvolver de forma silenciosa.

“A hérnia leva a um processo degenerativo do disco intervertebral, o que pode desencadear complicações mais agudas e levar, até mesmo, à paralisia do animal”, explica Adriana de Figueiredo, veterinária ortopedista e cirurgiã da Petz. Além da dor na coluna, outros sinais que apontam para o problema são respiração ofegante, tremor, incômodos ao ser encostado ou pego no colo, não conseguir achar uma posição para sentar ou deitar, dificuldade para andar, arrastar a patinha e perder a coordenação.

+ Cachorros com problemas na coluna: como tratar e prevenir

+ Como funciona a acupuntura em animais? 

Quando a doença atinge seu grau mais grave, o pet pode ficar paralisado e sem sensibilidade nas patas traseiras. Apesar de algumas raças como lhasa apso, shih tzu, daschund e bulldog francês serem mais predispostas à hérnia, o problema pode acometer qualquer tipo de cão. Por isso, ao suspeitar de algum problema, é importante procurar um especialista.

Quanto mais cedo o diagnóstico for realizado, melhor será o tratamento e a recuperação do pet. A hérnia pode ser detectada por meio de ressonância magnética ou tomografia computadorizada. O tratamento varia desde o uso de anti-inflamatórios e sessões de fisioterapia até cirurgia. “Para os casos mais graves, a cirurgia é recomendada, pois é a melhor chance do pet se recuperar completamente”, afirma Adriana.

Como cuidar da coluna do pet e preservar sua saúde?

  • Fique atento ao peso do animal

O sobrepeso é uma alteração grave para os pets, uma vez que sobrecarrega as articulações e pode potencializar doenças como a hérnia. Evite os hábitos sedentários e mantenha a alimentação balanceada com rações apropriadas.

  • Fique atento às raças que têm predisposição ao problema

Para os pets de raças como lhasa apso, shih tzu, daschund e bulldog francês, que têm propensão a desenvolver problemas de coluna, é recomendado evitar subir e descer obstáculos, camas, sofás e escadas, pois isso pode levar ao agravamento da doença.

  • Faça com que o animal se exercite frequentemente

Estimule a prática de exercícios e atividades físicas, como caminhadas e brincadeiras, pois elas fazem com que os pets desenvolvam a musculatura. O fortalecimento muscular ajuda a preservar e a proteger a coluna.

  • Pegue o pet no colo com cuidado

Ao pegar o pet no colo, segure-o, ao mesmo tempo, pela região do tórax e pela região pélvica. Não suspenda o animal somente pela parte anterior (tórax) pois isso pode causar incômodo e dor. Outra dica importante é usar coleira peitoral para dar maior suporte e não forçar a região cervical.

  • Faça massagens e carinho

Fazer movimentos suaves na coluna dos pets ajuda a relaxar e amenizar dores e tensões. Apenas fique atento para não usar nenhum produto sem indicação veterinária durante essa atividade.

Foto: Getty Images

Mariana Castro

No processo de se formar em jornalismo e convencer a mãe a ter um cachorrinho, sendo o segundo muito mais desafiador. No momento, o mais próximo que tem de algo de estimação é seu cacto, a Amélia. Enquanto isso, segue escrevendo e se apaixonando por vira-latas de terceiros.

Comentários