calendarioPublicado em 9 de out de 2015 - Por Camila Natalo

É só chegar o final de ano, recesso e férias que a nossa vontade se resume em viajar! Afinal, nada melhor do que conhecer lugares novos ou respirar ares diferentes. Porém, se você é dono de um cachorro, essa não é uma das tarefas mais simples. Antes de qualquer planejamento, é preciso decidir se levamos nosso pet junto ou se deixamos sob os cuidados de outras pessoas ou hotéis especializados.

+ Hotéis para cachorros

+ Lugares para conhecer com o seu pet

Se você nunca viajou com seu dog por receio, ou simplesmente por não ter a menor ideia de como planejar a viagem, conversamos com a médica veterinária Mariana Nottoli Buck, Hospital Veterinário Santa Inês, em São Paulo, para tirar as principais dúvidas sobre o assunto. Para a sua tranquilidade, podemos adiantar que é muito possível ter uma viagem tranquila na companhia do pet, tanto de carro, avião, como até de ônibus!

Viagem de carro

Primeiramente, é preciso lembrar que o código de trânsito prevê que o cachorro seja transportado em uma cadeirinha ou caixa de transporte, fixadas com o cinto de segurança. Caso não cumpra o código, o condutor estará sujeito a multas. “O cachorro não deve colocar qualquer parte do corpo para fora do veículo, inclusive a cabeça, como costumamos ver. É proibido”, ressalta a veterinária.

Quais são os cuidados necessários para viajar com um cachorro no carro? Devemos sempre estar atentos à temperatura do automóvel. É primordial que esteja bastante ventilado ou com o ar-condicionado ligado, evitando assim temperaturas elevadas. Quando possível, escolha os horários menos quentes do dia para viajar. Quando expostos ao calor excessivo, os pets podem apresentar enfermidades graves que podem, inclusive, levar a óbito.

O que é imprescindível levar nas viagens? Além da cadeirinha ou caixa de transporte, é recomendado levar uma coleira e guia que, além de ajudarem no transporte, também são fundamentais para que o animal possa andar, urinar, evacuar e beber água de forma segura, sem risco de fuga durante as paradas.

Um bebedouro também é importante, pois nem sempre encontramos nos locais de descanso água potável e recipiente. Sem esquecer da sacola plástica, que servirá para coletar e descartar as fezes, caso seja necessário.

As paradas são necessárias durante qualquer viagem? As paradas de descanso são bem-vindas, principalmente em viagens longas. Recomendamos pausas a cada duas horas e meia ou toda vez que o pet se mostrar desconfortável. Afinal, esse momento é importante para o animal urinar, evacuar, andar e beber água.

E a alimentação? A alimentação é variável. Alguns animais poderão nausear e até mesmo vomitar ao andar de carro com o estômago cheio. Porém, o jejum prolongado também poderá trazer desconforto e problemas de saúde ao pet,  como, por exemplo, a hipoglicemia. Portanto, evite jejuns maiores que cinco horas e não alimente seu cão momentos antes de pegar a estrada.

Viagem de ônibus

É possível viajar com o cão no ônibus, sim, mas existem algumas regras. São aceitos apenas animais de pequeno porte (de, no máximo, dez quilos) e as viagens não podem acontecer em horários de pico, como das 6h às 10h e das 16h às 19h. O responsável deverá ter em mãos o atestado de saúde do cão, emitido por um médico veterinário, com data limite de até quinze dias antes da viagem, além do comprovante de vacinação. Porém, cada ônibus pode transportar apenas dois animais de cada vez, portanto além de comprar a passagem com antecedência, também é preciso avisar a empresa responsável. Normalmente, é preciso levar o pet na caixa de transporte e é cobrado um valor adicional.

As mesmas dicas da viagem de carro, em relação à alimentação, paradas e itens que você deve levar, valem para a viagem de ônibus.

Viagem de avião

dog-airplane-810x506

Crédito: Freehdwall.net

Para viajar de avião junto com o pet é preciso fazer uma reserva com antecedência junto à companhia aérea e, obviamente, também existe um custo adicional de transporte. É possível fazer o transporte na cabine, porém existe um limite de peso determinado por cada companhia, que varia de 5kg a 10kg, contando com o peso da caixa de transporte, que deve ter de 22cm de altura x 43cm de profundidade e 32cm de largura, devidamente identificados. Os pets Acima do peso determinado, os pets são direcionados para o compartimento de carga do avião.

Também há uma idade mínima para viajar, que é de quatro meses. “No caso de viagens nacionais ainda é necessária a apresentação da carteira atualizada de vacinação e vermifugação. Já para viagens internacionais é obrigatório apresentar o Certificado Zoossanitário Internacional (CZI), obtido através de uma consulta com um médico veterinário do Ministério da Agricultura. Também não podemos esquecer de consultar as exigências do país de destino para providenciar os documentos específicos”, adverte a médica veterinária.

Camila Natalo

Jornalista, adoradora de felinos, cachorros (especialmente buldogues franceses) e porquinhos. Eterna dona do schnauzer Tock e muitos – muitos gatos – entre eles os mutantes (brinks!) Michelangelo, Donatello, Raphael e Leonardo.

Comentários