calendarioPublicado em 24 de jan de 2018 - Por Mariana Castro

Quando pensam na alimentação de felinos, muitos lembram do leite como parte da dieta. Mas, diferentemente do que se imagina, os gatos não devem beber leite após as quatro primeiras semanas de vida. A prática pode, inclusive, trazer prejuízos para a saúde do pet, que costuma desenvolver intolerância à lactose assim como muitos humanos.

“O gato adulto precisa de ração seca ou úmida, que é balanceada com os nutrientes necessários para esta fase”, explica Carla Storino, veterinária da Cobasi. Nesta fase, a maioria deles desenvolve essa intolerância ao leite pois produzem poucas enzimas capazes de processar a lactose. “Os sintomas são os distúrbios gastrointestinais, como diarreia e vômito”, alerta Carla. “É preciso ficar atento para que isso não se desenvolva para problemas digestivos severos”, completa.

+ Dúvidas que todo dono de filhote de gato pode ter

+ O que fazer para evitar a intoxicação em pets?

Mesmo no caso de gatos que não apresentam resistência a esse tipo de alimentação, não é recomendado oferecer leite de vaca. Filhotes que perderam a mãe e não poderão ser amamentados pelo leite dela, por exemplo, devem consumir formulações específicas para eles, comercializadas em pet shops.

Atualmente, existem rações indicadas para gatos filhotes de um a quatro meses de idade. Elas se apresentam nas versões úmidas (sachê) ou secas, e facilitam a transição do leite materno para o alimento sólido. Uma grande vantagem das rações úmidas é que elas também ajudam na hidratação do animal. “Por fim, é importante lembrar que o alimento deve ser colocado em tigelas rasas, para que o filhote consiga alcançá-lo”, aconselha a médica veterinária.

Foto: Getty Images

Mariana Castro

Jornalista apaixonada por todos os seres vivos. Enquanto não realiza seu sonho de ter um cachorrinho, segue escrevendo sobre eles e se apaixonando por vira-latas de terceiros.

Comentários