calendarioPublicado em 17 de out de 2017 - Por Mariana Castro

Animais domésticos, em geral, exigem cuidados muito semelhantes aos de crianças. Eles precisam de carinho e atenção, além de cuidados específicos, uma vez que, para eles, tudo é um potencial brinquedo. Acidentes domésticos envolvendo pets são causas recorrentes de visitas aos veterinários e, por isso, é preciso ficar atento a alguns objetos que podem machucá-los.

“Existem diversos itens que devemos tomar maior cuidado quando temos um animal”, conta a veterinária da Cobasi, Carla Storino Bernardes. “Alguns podem causar danos irreversíveis”, alerta ela. Entre os exemplos são as tomadas e fios, materiais de limpeza doméstica, medicamentos e brinquedos infantis.

Filhotes de cães e gatos, em especial, precisam de atenção redobrada. “Eles são os mais curiosos e dispostos a procurar novas aventuras”, explica Carla. Por causa disso, a recomendação é encapar fios elétricos com protetores próprios para isso, afim de evitar que os pets levem um choque ao tentar brincar com eles. Também existem protetores de tomadas, usados por quem tem crianças em casa, que podem ser muito úteis na proteção dos animais.

+ Os itens mais bizarros ingeridos por cachorros

+ Quanto tempo os gatos podem ficar sozinhos em casa?

“Brinquedos de crianças também são extremamente perigosos, pois podem ser engolidos pelos animais”, lembra a veterinária. O ideal é que os pets se entretenham apenas com brinquedos feitos especialmente para eles. O mesmo cuidado é válido para os medicamentos. Alguns remédios têm substâncias que não podem ser administradas para animais e outros têm doses altas demais para eles. “Os únicos medicamentos que os pets podem ter acesso são os prescritos por um médico veterinário de confiança e na dose oferecida pelo tutor”, explica Carla.

O ideal nestes casos é sempre atentar-se à facilidade de alcance desses produtos. O mesmo vale para alguns alimentos que são consumidos pelos seres humanos, mas altamente tóxicos para os animais. “Alguns exemplos são cebola, alho, chocolate, café, leite, uva passa e macadâmia”, revela a especialista. Por causa disso, o tutor deve ter atenção e lembrar de não deixar restos de comida e objetos espalhados pela casa. 😉

Foto: Getty Images

Mariana Castro

No processo de se formar em jornalismo e convencer a mãe a ter um cachorrinho, sendo o segundo muito mais desafiador. No momento, o mais próximo que tem de algo de estimação é seu cacto, a Amélia. Enquanto isso, segue escrevendo e se apaixonando por vira-latas de terceiros.

Comentários