calendarioPublicado em 28 de abr de 2017 - Por Mariana Castro

Algumas histórias parecem ter saído de um filme. A da garota Amber e seu jumento Shocks, que colabora com o trabalho de terapia animal, por exemplo, seria recorde de bilheteria. Ambos tiveram um começo de vida muito difícil, mas aprenderam a superar as dificuldades juntos.

+ ‘Mini vaca’ resgatada de leilão é adotada por doze cachorros 

+ Pitbull com necessidades especiais ajuda na terapia de pessoas com as mesmas condições

O animal foi encontrado com uma corda amarrada em seu pescoço e a pele coberta de ferimentos e lesões por ter ficado preso por muito tempo. Por sorte, ele foi resgatado e levado para um santuário de animais em Birmingham, na Inglaterra.

Neste local, Shocks conheceu Amber, uma garota muito especial que convive com paralisia cerebral, o que dificulta seus movimentos. Além disso, ela e sua irmã nasceram prematuras e Amber precisou passar por uma cirurgia para salvar sua vida. Como consequência, entretanto, o fluxo de ar de suas cordas vocais foi cortado, o que fez com que ela ficasse muda.

+ Cães de terapia ajudam nadadores americanos a relaxar antes das Olimpíadas

A vida de Amber, no entanto, começou a mudar quando ela e o jumento se conheceram. “Eles criaram um vínculo imediatamente e eram muito carinhosos um com o outro”, contou Austwick, mãe de Amber, ao The Dodo. “Eles pareciam saber das dores que compartilhavam”, completou.

Através de diversos tratamentos e do apoio constante do animal, os músculos de Amber começaram a ficar mais fortes e sua saúde geral melhorou. Com isso, a garotinha passou por mais uma cirurgia. O objetivo era tentar estimular a fala. O procedimento deu certo! As primeiras palavras da pequena foram Eu te amo, Shocky. “Eu diria que eles curaram um ao outro”, disse a mãe. <3

amber - imagem 2 - reproducao

amber - imagem 3 - reproducao

amber - imagem 4 - reproducao

amber - imagem 5 - reproducao

amber - imagem 6 - reproducao

amber - imagem 7 - reproducao

amber - imagem 1 - reproducao

amber - reproducao

Fotos: Reprodução

Mariana Castro

No processo de se formar em jornalismo e convencer a mãe a ter um cachorrinho, sendo o segundo muito mais desafiador. No momento, o mais próximo que tem de algo de estimação é seu cacto, a Amélia. Enquanto isso, segue escrevendo e se apaixonando por vira-latas de terceiros.

Comentários