calendarioPublicado em 24 de ago de 2017 - Por Patricia Machado

Coceira, vermelhidão na pele e queda de pelos são sinais de que o cachorro pode estar com uma doença dermatológica. Se não for tratada a tempo, o quadro pode evoluir e causar problemas mais graves como anemia e doenças infecciosas.

+ Saiba quais são as alergias mais comuns em cães e gatos

+ Conheça a atopia, doença crônica que afeta a pele dos cachorros

Para evitar doenças de pele, os tutores devem manter as vacinas do pet em dia, realizar regularmente o controle de pulgas e carrapatos e manter a higienização do animal. Ele deve tomar banhos frequentes e viver em ambientes limpos. Além disso, é importante levar o cachorro ao veterinário para fazer um check-up e averiguar, de forma detalhada, o estado de saúde do pet.

As doenças dermatológicas mais comuns são dermatite alérgica à picada de pulgas e carrapatos, sarna, malasseziose e piodermite. A veterinária Fabiana Zerbini, que também é gerente técnica da Virbac, empresa dedicada à saúde animal, explicou os principais sintomas de cada doença e a melhor forma de prevenir e tratar o problema. Confira:

Dermatite alérgica à picada de ectoparasitas

Carrapatos e pulgas se alimentam do sangue dos cães, provocando coceira, vermelhidão e a inflamação da pele. Os parasitas podem ainda ocasionar anemia, além de doenças infecciosas graves. A prevenção pode ser feita com um rigoroso controle de pulgas e carrapatos por meio de controle ambiental e através da utilização de produtos que matam os ectoparasitas. Durante o tratamento, o tutor pode utilizar produtos que aliviam a coceira.

Sarna

Existem dois tipos de sarna: a demodécica e a sarcóptica. Provocada por diferentes tipos de ácaros, a sarna inflama a pele do animal e pode provocar a perda de pelos. A sarna demodécica é uma doença não transmissível que acomete animais com predisposição genética. “Sua prevenção deve ser feita ao evitar o cruzamento de animais com histórico da doença. Também é preciso manter o animal diagnosticado com um sistema imunológico forte para o ácaro não se proliferar. Isto deve ser feito através de boa alimentação, vermifugação e vacinação”, explica a veterinária.

Já a sarna sarcóptica é contagiosa e pode acometer cães, gatos e seres humanos. O tratamento é feito com medicamentos via oral à base de princípios ativos que combatem o ácaro, como a ivermectina ou a moxidectina.

Para evitar problemas mais graves, o tutor deve levar o animal ao veterinário ao perceber mudanças comportamentais no pet

Malasseziose

Ocasionada por fungos, a malasseziose se prolifera quando há fatores que promovam a sua multiplicação, como umidade excessiva e uso de corticoides e antibióticos. “Enfermidades que prejudicam a barreira da pele, como a atopia, que é uma alergia à substâncias ambientais como pólen de planta, esporo de fungos e ácaro de poeira doméstica, permitem a proliferação do fungo”, afirma Fabiana. Os indícios da doença são coceira, pele oleosa e queda de pelos. A prevenção da doença é feita ao manter a barreira da pele do cão íntegra com banhos com xampus para pele sensível e produtos hidratantes. O tratamento é feito com xampus e medicamentos antifúngico.

Piodermite

Essa infecção é causada por bactérias. Normalmente, a piodermite está relacionada a alguma outra doença e, por esse motivo, deve-se descobrir a doença primaria que está originando o problema. Por exemplo, a piodermite pode ser secundária à dermatite alérgica. Os animais que apresentam essa doença de pele costumam ter lesões com presença de pus e pele avermelhada. De acordo com a veterinária, o tratamento é realizado com xampus e antibióticos via oral.

A melhor forma de prevenção é manter a pele do animal saudável. O ambiente em que o cachorro vive deve estar sempre limpo. Também é importante dar banhos regulares, manter a proteção contra ectoparasitas e, ao sinal de coceiras, levar o pet ao veterinário antes que o ato de coçar origine uma piodermite.

Foto: Getty Imgaes

Patricia Machado

Jornalista que descobriu a sua paixão por gatos graças às aventuras vividas ao lado do adorável Alfredo Afonso, um gatinho que foi resgatado das ruas e que também era conhecido por Lucky. Hoje, é tutora da pequena Sophie, uma gatinha que muitas vezes é chamada de Sofia Maria. No futuro, sonha em ter um porco e uma cadela chamada Matilda!

Comentários